sábado, 3 de junho de 2006

um grilo passeia

Edson Bueno de Camargo

um grilo passeia numa folha
acompanha
um olho em cada esquina

um retângulo dourado
requadra toda cidade

onde Deus fez um ninho
ilumina pela rosácea
da catedral

cigarrinhas comem o pólen
dos abetos distantes da praça
pinheiros seculares
expatriados sem consulta

mendigos jogam dados
apostando cacarecos e raras moedas

o Jovem Deus assiste a tudo
da janela lateral do altar
o outro cristo
tresloucado
atravessa
e a multidão aos gritos

grilos pretos
respondendo com canções em seus violinos
as cigarras cantam
até romper a praça sem sentido

o vagabundo fuma cigarros
o ganhos dos dados

Um comentário:

Terry Godfrey disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.