segunda-feira, 21 de setembro de 2009

recados de pedra




Edson Bueno de Camargo


acumulam-se pedrinhas
onde goteja o telhado
bizarras arquiteturas
se desenhando
a bica encontra sempre
o mesmo lugar para pingar

a areia as trouxe de longe
de outro tempo e lugar
são recados de pedra
a empilhar coisas sem valor
segredos absortos
abortos
abertos

está frio e solitário aqui
pouco ou quase nada mudou
dos tempos em que os joelhos eram rotos
as idéias ralas
e o coração puro
quando a dor não era trabalho de cantaria

o sentir das idades
é uma fada senil
os tesouros perderam seus mapas

(o coito das cabras
não faz sentido também
e estão elas ai
a se multiplicar)

2 comentários:

E. Mora disse...

"são recados de pedra
a empilhar coisas sem valor
segredos absortos
abortos
abertos" [...]

Só aqui há um mundo de sentimentos
adoro saber das pedras, dos acúmulos
de coisas que se fartam de ficar
para nós um dia entendermos tudo [ou não]

Belíssimo teu poema
sim, "os tesouros perderam' não seus significados
mas a geografia...........[é outra

beijos

El

Zilda Costa disse...

Complexidade de sentidos, mas conseguimos captar pureza nos seus versos.Isso é talento, arte- não se pode negar!Parabéns!