segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

amargo

Edson Bueno de Camargo

afinar-se com a palavra amargo
e todo o significado que esta traz
o medo inconstante
da água em movimento
trazido com a estação das chuvas
vento breve que arrepia a espinha
em tardes claras

o inverno que insiste em dar a sua voz
mesmo já começando a primavera

as flores caídas sobre o asfalto úmido
dão à retina
todo o amarelo possível
há acúmulos nos meios-fios
onde caminha a água

a noite obstrui como a vida
toda a luz que é
precisa para o ver

esperamos todos os anos
as tardes mais longas
deixando para trás
as noites de escuro não trespassável

Um comentário:

André Camargo disse...

Edson sua poesia é forte e ao mesmo tempo doce, trata das angustias mais profundas da alma.

"E o que somos nós? Se não meros desvios da alma"

André Camargo