sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

sombras

Edson Bueno de Camargo

aqui somos os que fazem
sombras
e das sombras

dos que buscam cura
mas não a acreditam

dos que deram duas voltas
em torno da casa
pensando a sagrada caaba

que penduram arames
nos galhos das mangueiras

perfuram os olhos do tempo
e buscam no horizonte
respostas

3 comentários:

ELI disse...

Muito linda e forte sua poesia!Parabéns!

Jorge de Barros disse...

Opa! tinha um tempo que eu não vinha aqui, mas é sempre bom, belos textos.
E aí, tá em crise criativa ainda?
Abraço!

Edson Bueno de Camargo disse...

Estranho me perguntar, estava voltando de Diadema no Trólebus, quando me veio um poema que estou curtindo muito a sua confecção.